O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



Ficou sensacional!

Muitos não acreditavam que fazer cerveja em casa poderia ter um resultado tão bom. Mas foi assim, com simplicidade e com bons ingredientes que a nossa cerveja Weiss fez sucesso para aqueles que foram no Biermarket degustar a nossa cerveja artesanal. Leonardo Botto diz "precisa fazer força para produzir uma cerveja com defeito", com seu jeito o cervejeiro passou o recado para seus alunos e convidados. Veja as fotos.
Novo curso está sendo programado para o final de Outubro. Qual será o estilo produzido?
Faça sua reserva com a intenção de inscrição (aqui) e mande para omestrecervejeiro@gmail.com

Chegou o Grande Momento

Após o curso realizado no mês de maio, finalmente teremos a possibilidade de degustar a cerveja de trigo produzida pelos alunos.



Foi com muito cuidado e dedicação que foram produzidos 25 litros de uma cerveja tipo Weizen.

Ver fotos do curso (aqui)


Conforme o Beer Judge Certification Program (BJCP) Style Guidelines:

Aroma: Moderada a forte fenóis (geralmente cravo) e ésteres frutados (geralmente banana). O equilíbrio e a intensidade dos componentes de éster fenol podem variar, mas os melhores exemplos são razoavelmente equilibrada e bastante proeminente. Hop de fraca ou nula. Uma luz ao aroma moderado de trigo (que pode ser percebido como bready ou granulado) podem estar presentes, mas outras características de malte não devem estar. Nenhum diacetil ou DMS. Opcional, mas aceitável, aromáticas podem incluir uma luz, acidez cítrica, uma luz ao caráter vanilla moderada, e / ou um aroma bubblegum baixo. Nenhuma destas características opcionais deve ser elevado ou dominante, mas muitas vezes pode adicionar à complexidade e equilíbrio.

Aparência: Palha em ouro muito escuro na cor. Cabeça branca é característica. O alto teor de proteína de clareza prejudica o trigo em uma cerveja não filtrada, embora o nível de Haze é um pouco variável. A cerveja hefe "mit" é também muito turvo a partir de sedimentos em suspensão de fermento (que deve ser despertado antes de beber). A versão filtrada Krystal não tem fermento e é brilhantemente claro.

Sabor: banana baixa a moderada e forte sabor de cravo. O equilíbrio e a intensidade dos componentes de éster fenol podem variar, mas os melhores exemplos são razoavelmente equilibrada e bastante proeminente. Opcionalmente, um personagem muito leve para moderada baunilha e / ou notas baixas chiclete pode acentuar o sabor de banana, doce e redondeza, nem deve ser dominante, se presentes. O sabor suave e um pouco bready ou granulado de trigo é complementar, como é uma Pils ligeiramente doce caráter de malte. sabor Hop é muito fraca ou nula, e amargor do lúpulo é muito baixa a moderadamente baixa. Um personagem, notas cítricas a partir de leveduras e alta carbonatação é muitas vezes presente. paladar bem arredondada, saborosos e com um acabamento relativamente seco. Nenhum diacetil ou DMS.

Boca: médio-leve a médio corpo, nunca pesada. Suspenso levedura pode aumentar a percepção do corpo. A textura do trigo dá a sensação de plenitude, creme fofo, que podem evoluir para uma luz, ajudado por terminar spritzy alta carbonatação. Sempre efervescente.

Impressão Geral: Uma pálida, picante, frutado, cerveja refrescante à base de trigo.

História: A cerveja tradicional à base de trigo originário do sul da Alemanha, que é uma especialidade para o consumo no verão, mas geralmente produzido ao longo do ano.

Observações: Estas são refrescantes, rápido amadurecimento cervejas que são levemente saltada e apresentam um caráter único fermento banana-e-cravo. Estas cervejas, muitas vezes não envelhecem bem e melhor apreciado, enquanto jovem e fresco. A versão "mit Hefe" é servido com sedimento agitado em leveduras, a versão krystal é filtrada para uma excelente nitidez. Garrafas com leveduras são tradicionalmente agitado suavemente ou laminados antes de servir. O caráter de um weizen krystal é geralmente frutado e menos compostos fenólicos do que o Hefe Weizen.

Ingredientes: Pela lei alemã, pelo menos 50% da munição deve ser transformada em malte de trigo, embora algumas versões usam até 70%, o restante é de malte Pilsner. Um mash decocto tradicional dá ao organismo sem cloying doçura. leveduras cerveja Weizen produzir o picante típicos e frutado, embora temperaturas de fermentação extremas podem afectar o equilíbrio e produzir off-flavors. Uma pequena quantidade de lúpulo nobre são utilizados apenas para a amargura.

Estatísticas Vitais: OG: 1,044-1,052

IBU: 8-15 FG: 1,010-1,014

SRM: 2-8 ABV: 4,3-5,6%

Exemplos comerciais: Hefeweissbier Weihenstephaner, Weizenhell Weisse Schneider, Paulaner Hefe Weizen, Weisse Pschorr Hacker, Hefeweizen Bavarian Plank, Weisse Bräu Ayinger, Weissbier Hell Ettaler, Franziskaner Hefe Weisse, Hefetrüb Weissbier Andechser, Weissbier Kapuziner, Erdinger Weissbier Weizen Penn, Barrelhouse Hefeweizen Hocking Hills, Eisenbahn Weizenbier



Vamos degustar nessa quinta-feira dia 8 de julho no BierMarkt !

O Curso Cerveja Artesanal - Produção com Leonardo Botto

“O Mestre Cervejeiro” - O Curso

ÚLTIMOS DIAS
Vagas limitadas

Nos dias 28 e 29 de Maio
Local: Espaço Gourmet Blue Ville - Porto Alegre
Av. Cristóvão Colombo, 3309

Última Notícia 
Programa Brasil na Madrugada com Sara Bodowsky entrevistando Leonardo Botto FOI DIA 13 DE MAIO ESCUTE AQUI (LINK)





HAPPY HOUR no  BierMarket, foi no dia 21 quarta-feira, Porto Alegre. (Fotos)
NA MÍDIA Com Bibo Nunes veja o programa (Link para o programa) (fotos)

Como será?

Aulas com conceito “Experience Course”


O nosso objetivo é iniciar e desenvolver os adoradores da cerveja na Arte Cervejeira.


Ao final do curso o aluno estará apto a produzir sua cerveja e saborear com os amigos.

Oportunidade única
Um curso com quem realmente faz cerveja artesanal.


Leonardo Botto é cervejeiro premiado e conhecido por suas famosas receitas, sempre disposto a auxiliar os iniciantes.


Uma de nossas degustações da escola alemã. Cervejaria mais antiga do mundo ainda em funcionamento, desde 1040.



Programa

No Dia 28 sexta-feira começa às 19:30 e vai até 22:40
Teremos mesa de degustação com antipastos entre outras iguarias
Faremos a degustação de cervejas de três escolas cervejeiras mundiais (alemã, belga e inglesa). Ainda teremos a cerveja pilsen Urquell com toda sua história de paladar.
Cardápio de cervejas:
1)Pilsener Urquell
2) Weihestephaner Weizen
3) Schneider Aventinus Weizenbock
4) Aecht Schlenkerla Classic Rauchbier
5) Young’s Double Chocolate
e + 2 SURPRESAS 
Está sensacional! 
História da cerveja, seus tipos, sensações sensoriais, curiosidades, teste cego para aprender um pouco mais sobre a degustação.

No Dia 29 sábado começa 9:00 e vai até 18:00
Nesse dia produziremos uma cerveja artesanal e os alunos participarão de todo o processo.
Coffebreak, almoço harmonizado com a cerveja pela Nutricionista e Cheff Helena Gorziza, lanche e coquetel da famosa e tradicional confeitaria Maomé, além de degustação de chopp variado Barley, e alguma outra surpresa internacional que está chegando.
No conteúdo da aula teremos a razão dos processos artesanais. Água, Malte, Lúpulo, Levedura. Todo o processo com equipamentos e insumos de produção artesanal e como fazer sua cerveja em casa sem mistério. Aprofundaremos nas técnicas cervejeiras para quem já tem algum conhecimento, mas para os iniciantes poderão acompanhar sem problemas.

O Botto Vem aí!

"E o Botto é coisa nossa, e o Botto é coisa nossa, mas que vai vai mas que vai vem". É isso aí o premiado cervejeiro Leonardo Botto estará em Porto Alegre nos dias 28 e 29 de Maio com a gente. "O Mestre Cervejeiro" - O Curso, será ministrado por quem faz cerveja séria de uma forma irreverente e simples em sua essência. O conceito Homebrew e várias degustações acontecerão em um clima descontraido sem deixar de lado a experiênca sensorial que estará rolando. A cultura cervejeira agradece. Reserve sua vaga pelo email omestrecervejeiro@gmail.com e informamos os últimos detalhes.

Prêmios do Botto e suas cervejas 


GRAÚNA - 4ª Colocada no II Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, com a Robust Porter Graúna.
THRÚD - 3ª Colocada na categoria Belgian Strong Ale do III Concurso Nacional das ACervAs, BH, 2008, com a Dubbel Thrúd.

THOR - 3ª Colocada na Bockfest Competition de Cincinnati, Ohio, USA, na categoria Doppelbock, em 09/03/08.

A Dama do Lago - Campeã do primeiro Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, com uma Belgian Dark Strong Ale, em 12/12/07.
A Dama do Lago - 4ª colocada na categoria Estilo Livre do II Concurso Nacional da ACervA Carioca, em 29/09/07.
Maligna - Vice Campeã do 1º Concurso de Cervejas Artesanais Caseiras de São Paulo, organizado pela Turma da cerveja, na categoria Pale Ale, em 18/08/07.
Vidua Nigra - Campeã do II BH Home Bier, Mostra Nacional de cervejas artesanais caseiras de Belo Horizonte, MG, em 15/08/07.
Feiticeira - Campeã na categoria Estilo Livre do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais a ACervA Carioca, em 17/12/06.
Maligna - Campeã na categoria Pale Ale do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.
Vidua Nigra - Vice Campeã na categoria Livre do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.
Cheirosa - 3ª Colocada na categoria Pale Ale do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.

Tssssss... se estiver gelada?



O barulho de lata de cerveja abrindo é a sensacional idéia de gadget japonês no site

A cerveja mais cara


É muito raro ver as cervejarias buscando o posto de cerveja de luxo como uma proposição rentável, mas quando se trata de uma cerveja com tantos adjetivos, o preço é só um detalhe. Uma garrafa de 1/2 litro da Vieille Bon Secours ale custa em torno de U$1200,00. Ela fica armazenada por 10 anos tem sabor e aromas complexos e também é vendida em garrafas de 12 litros. Ela tomou o posto da Carlsberg Jacobsen number 1, até então, a cerveja mais cara do mundo.

A lei de pureza de 1516

A Reinheitsgebot (lei da pureza da cerveja) foi uma lei promulgada pelo Duque Guilherme IV da Baviera, em 23 de Abril de 1516. A Lei da Pureza da Cerveja instituiu que a cerveja deveria ser fabricada apenas com os seguintes ingredientes: água, malte de cevada e lúpulo (a levedura de cerveja não era conhecida à época).
Ele constitui um dos mais antigos decretos alimentares da Europa.

A lei em português:
"Proclamamos com este decreto, por Autoridade de nossa Província, que no Ducado da Baviera, bem como no país, nas cidades e nos mercados, as seguintes regras se aplicam à venda da cerveja:
De Michaelmas a Georgi, o preço para um Litro ou um Copo, não pode exceder o valor de Munique do pfennig.
De Georgi a Michaelmas, o Litro não será vendido por mais de dois pfennig do mesmo valor, e o Copo não mais de três Heller (Heller geralmente é meio pfennig).
Se isto não for cumprido, a punição indicada abaixo será administrada.
Se todo cervejeiro tiver outra cerveja, que não a cerveja do verão, não deve vendê-la por mais de um pfennig por Litro.
Além disso, nós desejamos enfatizar que no futuro em todas as cidades, nos mercados e no país, os únicos ingredientes usados para fabricação da cerveja devem ser cevada, malte e água.
Qualquer um que negligenciar, desrespeitar ou transgredir estas determinações, será punido pelas autoridades da corte que confiscarão tais barris de cerveja, sem falha.
Se, entretanto, um comerciante no país, na cidade ou nos mercados comprar dois ou três barris da cerveja (que contém 60 litros) para revendê-los ao vendedor comum, apenas para este será permitido acrescentar mais um Heller por Copo, do que o mencionado acima. Além disso, deverá acrecentar um imposto e aumentos subsequentes ao preço da cevada (considerando também que os tempos da colheita diferem, devido à localização das plantações).
NÓS, o Ducado da Baviera, teremos o direito de fazer apreensões para o bem de todos os interessados."
Guilherme IV Duque da Baviera (fonte wikipédia)

Por que fazer sua cerveja?

Fazer cerveja para muitos soa querer economizar. Já ouvi muito isso. "Fica mais caro", realmente se for pesar algumas horas de tarbalho a paciência e o que é cobrado por uma cerveja industrial eu concordo é mais caro. Mas fazemos tudo pensando no dinheiro? E a satisfação de realizar? E a variedade de sabores e aromas que experimentamos? Sem contar nesse cálculo o que vem de absurdamente ruim em sabores das cervejas baratas do supermercado e seus produtos químicos. Poderíamos comparar em paladar de comer pratos distintos. Não é possível comparar algo feito em escala industrial com uma bebida artesanal onde nos envolvemos em todo o processo e escolha dos ingredientes. Isso falando apenas do paladar, e o que dizer de tirar "onda" que a cerveja foi feita por ti e com a sua marca. Como na propaganda "Isso não tem preço"!.

Movimento Slow Bier

O Slow Food é um movimento que nasceu na Itália nos anos 80 e consiste em defender o consumo de alimentos artesanais e orgânicos, cuja produção respeite o meio ambiente e também a saúde dos consumidores.
Ainda, na contramão do fast-food que se incorporou à rotina de correria da vida nas grandes cidades, os seguidores da filosofia Slow Food defendem as tradições regionais e o prazer de saborear alimentos com tranquilidade e a valorização da qualidade de vida.
O movimento também engloba ações de conscientização promovidas pela sociedade e atitudes cobradas dos governos para incentivar a produção e consumo desses alimentos, como redução da carga tributária e políticas públicas.
O Slow Bier nasceu na Alemanha há alguns anos inspirado no movimento Slow Food, acompanhando essa tendência mundial, e sua filosofia é defender e prestigiar as cervejarias de pequeno porte .
As micro fabricam preferindo em seu processo de produção práticas social e ambientalmente responsáveis, além do que produzem sem adição de conservantes artificias, com base na Lei de Pureza Alemã de 1516 que admite apenas malte, lúpulo e água na composição da cerveja, gerando um alimento com maior integridade.
Também não é segredo que o processo de fabricação artesanal gera muito menos impactos no meio ambiente que o processo industrial.
A idéia do movimento ainda, é criar entidades de representatividade social regionais, como associações e cobrar ações de proteção comercial junto ao governo, como incentivos fiscais, para que as pequenas cervejarias sobrevivam no mercado, movimentando a economia local e gerando empregos.
Aqui no Brasil os precursores do movimento estão em Minas, sendo que o Slow Bier Brasil foi apresentado dia 25 de abril desse ano - dia em que simultâneamente ocorreu um evento semelhante na Alemanha - no Frei Tuck Slow Beer, referência cervejeira em Belo Horizonte . Também em Minas o movimento é defendido pelo Instituto de Convivialidade e Cultura Alimentar, em Tiradentes. A entidade promove eventos ligados à gastronomia e estimula o cultivo de hortas em escolas.
O Símbolo do movimento é esse bichinho-preguiça.
Mas todo mundo pode ajudar o movimento, apenas incorporando pequenos hábitos à sua rotina, preferindo alimentos e bebidas artesanais produzidos com responsabilidade. Na Alemanha começou como The Craft Beer Renaissance (algo como Renascimento da Cerveja Artesanal), se espalhou pela Europa e, posteriormente, chegou aos Estados Unidos como The Microbrewery Revolution (revolução da microcervejaria). O movimento pretende ser a voz de microscervejeiros que levantam a bandeira da tradição milenar de produção de cerveja. A principal ação desses verdadeiros guerreiros da cruz de malte é o festival anual Slow Bier, em Oberfranken, na Alemanha, que é uma região da Baviera onde se encontra a maior concentração de cervejarias do mundo. São mais de 200 pequenas cervejarias responsáveis pela produção de variados tipos de cervejas.
Fonte: loiraegelada.blogspot.com e beleza.terra.com.br