O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



O Botto Vem aí!

"E o Botto é coisa nossa, e o Botto é coisa nossa, mas que vai vai mas que vai vem". É isso aí o premiado cervejeiro Leonardo Botto estará em Porto Alegre nos dias 28 e 29 de Maio com a gente. "O Mestre Cervejeiro" - O Curso, será ministrado por quem faz cerveja séria de uma forma irreverente e simples em sua essência. O conceito Homebrew e várias degustações acontecerão em um clima descontraido sem deixar de lado a experiênca sensorial que estará rolando. A cultura cervejeira agradece. Reserve sua vaga pelo email omestrecervejeiro@gmail.com e informamos os últimos detalhes.

Prêmios do Botto e suas cervejas 


GRAÚNA - 4ª Colocada no II Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, com a Robust Porter Graúna.
THRÚD - 3ª Colocada na categoria Belgian Strong Ale do III Concurso Nacional das ACervAs, BH, 2008, com a Dubbel Thrúd.

THOR - 3ª Colocada na Bockfest Competition de Cincinnati, Ohio, USA, na categoria Doppelbock, em 09/03/08.

A Dama do Lago - Campeã do primeiro Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn, com uma Belgian Dark Strong Ale, em 12/12/07.
A Dama do Lago - 4ª colocada na categoria Estilo Livre do II Concurso Nacional da ACervA Carioca, em 29/09/07.
Maligna - Vice Campeã do 1º Concurso de Cervejas Artesanais Caseiras de São Paulo, organizado pela Turma da cerveja, na categoria Pale Ale, em 18/08/07.
Vidua Nigra - Campeã do II BH Home Bier, Mostra Nacional de cervejas artesanais caseiras de Belo Horizonte, MG, em 15/08/07.
Feiticeira - Campeã na categoria Estilo Livre do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais a ACervA Carioca, em 17/12/06.
Maligna - Campeã na categoria Pale Ale do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.
Vidua Nigra - Vice Campeã na categoria Livre do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.
Cheirosa - 3ª Colocada na categoria Pale Ale do I Concurso Nacional de Cervejas Artesanais da ACervA Carioca, em 17/12/06.

Tssssss... se estiver gelada?



O barulho de lata de cerveja abrindo é a sensacional idéia de gadget japonês no site

A cerveja mais cara


É muito raro ver as cervejarias buscando o posto de cerveja de luxo como uma proposição rentável, mas quando se trata de uma cerveja com tantos adjetivos, o preço é só um detalhe. Uma garrafa de 1/2 litro da Vieille Bon Secours ale custa em torno de U$1200,00. Ela fica armazenada por 10 anos tem sabor e aromas complexos e também é vendida em garrafas de 12 litros. Ela tomou o posto da Carlsberg Jacobsen number 1, até então, a cerveja mais cara do mundo.

A lei de pureza de 1516

A Reinheitsgebot (lei da pureza da cerveja) foi uma lei promulgada pelo Duque Guilherme IV da Baviera, em 23 de Abril de 1516. A Lei da Pureza da Cerveja instituiu que a cerveja deveria ser fabricada apenas com os seguintes ingredientes: água, malte de cevada e lúpulo (a levedura de cerveja não era conhecida à época).
Ele constitui um dos mais antigos decretos alimentares da Europa.

A lei em português:
"Proclamamos com este decreto, por Autoridade de nossa Província, que no Ducado da Baviera, bem como no país, nas cidades e nos mercados, as seguintes regras se aplicam à venda da cerveja:
De Michaelmas a Georgi, o preço para um Litro ou um Copo, não pode exceder o valor de Munique do pfennig.
De Georgi a Michaelmas, o Litro não será vendido por mais de dois pfennig do mesmo valor, e o Copo não mais de três Heller (Heller geralmente é meio pfennig).
Se isto não for cumprido, a punição indicada abaixo será administrada.
Se todo cervejeiro tiver outra cerveja, que não a cerveja do verão, não deve vendê-la por mais de um pfennig por Litro.
Além disso, nós desejamos enfatizar que no futuro em todas as cidades, nos mercados e no país, os únicos ingredientes usados para fabricação da cerveja devem ser cevada, malte e água.
Qualquer um que negligenciar, desrespeitar ou transgredir estas determinações, será punido pelas autoridades da corte que confiscarão tais barris de cerveja, sem falha.
Se, entretanto, um comerciante no país, na cidade ou nos mercados comprar dois ou três barris da cerveja (que contém 60 litros) para revendê-los ao vendedor comum, apenas para este será permitido acrescentar mais um Heller por Copo, do que o mencionado acima. Além disso, deverá acrecentar um imposto e aumentos subsequentes ao preço da cevada (considerando também que os tempos da colheita diferem, devido à localização das plantações).
NÓS, o Ducado da Baviera, teremos o direito de fazer apreensões para o bem de todos os interessados."
Guilherme IV Duque da Baviera (fonte wikipédia)

Por que fazer sua cerveja?

Fazer cerveja para muitos soa querer economizar. Já ouvi muito isso. "Fica mais caro", realmente se for pesar algumas horas de tarbalho a paciência e o que é cobrado por uma cerveja industrial eu concordo é mais caro. Mas fazemos tudo pensando no dinheiro? E a satisfação de realizar? E a variedade de sabores e aromas que experimentamos? Sem contar nesse cálculo o que vem de absurdamente ruim em sabores das cervejas baratas do supermercado e seus produtos químicos. Poderíamos comparar em paladar de comer pratos distintos. Não é possível comparar algo feito em escala industrial com uma bebida artesanal onde nos envolvemos em todo o processo e escolha dos ingredientes. Isso falando apenas do paladar, e o que dizer de tirar "onda" que a cerveja foi feita por ti e com a sua marca. Como na propaganda "Isso não tem preço"!.