O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



Be-a-bá I – ALE LAGER LAMBIC que bicho é esse?

Nesse Be-a-bá vamos tentar explicar, sem outras referências mais complicadas, o que são as famílias das cervejas. Isso, uma divisão porque cerveja não é tudo igual.


Existem mais de 120 tipos diferentes de cervejas no mundo, muito mais que isso, divididos em estilos, mas uma questão básica é como ela foi produzida e qual o fermento utilizado. Sim, cerveja tem fermento (levedura). E por ele podemos dividir nessas grandes famílias ALE, LAGER e LAMBIC
A maioria das cervejas utilizam leveduras Ale e Lager.(Assim: "ÊIL"/"LAGUER")
O que diferencia cada uma delas é o tipo de fermentação usado no processo de fabricação. De uma forma simples de explicar teremos na fermentação a levedura “comendo” os açucares do mosto cervejeiro e transformando em álcool e CO2.
Nesse processo é que a cerveja adquire suas características de sabores e aromas.

Lager:
Cervejas que utilizam fermentos Lager, que se adaptam melhor na fermentação com temperaturas em torno de 10°. Conhecida também como de baixa fermentação. Podem ser tanto claras como escuras. Não importa a graduação alcoólica atingida na conversão do açúcar.
Exemplos de estilos: Pilsen, Helles, Bock, Rauchbier.

Ale:
Cervejas que utilizam fermentos Ale, que se adaptam melhor na fermentação com temperaturas em torno de 20°. Conhecida também como de alta fermentação. Também podem ser claras ou escuras. Não importa a graduação alcoólica também.
Exemplos de estilos: Stout, Pale Ale, Weiss.

Lambic:
Uma família peculiar por fazer a fermentação da cerveja com a microflora do ambiente. Existem poucas cervejarias que utilizam esta técnica de fermentação espontânea sem a inoculação do fermento pelo cervejeiro. A verdadeira Lambic é produzida perto de Bruxelas. O nome vem da cidade de Lambeek. São cervejas com sabor bastante ácido.

SABENDO MAIS
E quais os ingredientes da cerveja?
Água, Malte, Lúpulo, e Fermento que referimos antes.
Além desses, em algumas cervejas são utilizados outros ingredientes para alcançar o perfil de aromas e sabores desejado pela cervejaria.

Água
Compõe 92% da cerveja. Precisa ser limpa e pura e, para cada receita,
há quantidades ideais de sais minerais que a água deve conter. Toda fábrica manipula a água da melhor forma para o tipo de cerveja que quer fazer

Malte
É o grão germinado, seco e torrado. Os mais utilizados são os grãos de cevada e trigo. Sua principal função é fornecer os açúcares que são fermentados pelo fermento na produção da cerveja. O malte define a cor, o corpo e uma grande variedade de aromas. Maltes claros dão aromas de cereais e pães, enquanto os torrados conferem aromas de caramelo, chocolate e café. Blends (misturas) de maltes produzem a complexidade da cerveja

Lúpulo
Somente a flor fêmea desta trepadeira  em forma de cone é utilizada. Humulus Lupulus
é da famíla das Cannabaceae, responsável pelo amargor da cerveja. Geralmente, quanto mais lupulada, mais amarga será a cerveja. Também confere aromas florais, cítricos, frutados e condimentados às cervejas. O lúpulo também age como um conservante natural para a cerveja.





Sabendo o conteúdo deste post outras pesquisas e peculiaridades podem ser aprendidas em relação ao processo de fabricação e aproveitar mais na próxima degustação de uma cerveja.