O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



Be-a-bá II – Reinheitsgebot - A Verdadeira História

Para poder escrever sobre isso e vocês não dormirem ou saírem do blog vamos agilizar as coisas.

Reinheitsgebot traduzido do alemão para o português significa "ordem da pureza" (obrigado, @pdallasanta). E falar em pureza para falar de cerveja sempre é bom, assim acreditam algumas marcas de cerveja que estampam em suas garrafas “Produzida conforme Lei de Pureza de 1516” como se isso bastasse para produzir uma cerveja boa. Essa é a conhecida Lei Reinheitsgebot de 1516 que em uma linha diz que uma cerveja somente pode ser produzida com Água, Cevada e Lúpulo. Lá em 1516 ainda não conheciam a levedura (ingrediente essencial) que fermentava as cervejas dos alemães.
Para saber o texto básico sobre a lei podem ler a Wiki. E vamos adiante com alguns pontos importantes e controversos.

Por que fizeram essa Lei de Pureza?
Bem, ela só foi conhecida como de pureza após 1900. Antes ela era conhecida como uma lei restritiva na Baviera. Somente após a união da Alemanha a Baviera exigiu que a lei fosse adotada pelo país todo. O texto da Lei se refere a taxas e valores e apenas RESTRINGE quais os ingredientes que podem ser usados em uma linha. Sobre a QUALIDADE da cerveja nenhuma linha de referência.

E no Ducado da Baviera o que estava rolando?
Lá no ano de 1516 o Duque Wilhelm IV regulou e restringiu os ingredientes para que os campos de cevada fossem valorizados. Adivinha de quem eram os campos de cevada? Sim, os Duques eram os proprietários. Ainda na Baviera foi regulado o comércio da cerveja que é a maior parte do texto da Lei do Duque.

E a pureza, qualidade fica aonde?
Na Alemanha faziam cerveja com ingredientes além do malte de trigo e de cevada. Utilizavam o arroz (pensavam que tinham sido os americanos? Agora não entro em Blumenau.), frutas e o que mais a criatividade mandasse. Na Bélgica não houve lei restritiva e continuam fazendo cervejas boas com ingredientes diversos. É verdade que alguns alemães quiseram utilizar grãos mais baratos para produzir cerveja, mas não foi Reinheitsgebot que fez a cerveja alemã ser uma cerveja de qualidade. E vamos combinar que nem todas são. O que ela fez foi colocar os cervejeiros restritos aos ingredientes e eles continuaram fazendo cervejas boas e desenvolvendo suas técnicas. No século XVII o trigo também já estava liberado. Em 1987 para a liberação da União Européia a lei foi revogada.

Já estão dormindo?
Se conseguir continuar saiba mais

E por que continuam falando nessa lei?
Ela faz parte da cultura alemã e foi uma boa jogada de Marketing para dizer que a cervejaria possui um cuidado com seus ingredientes. A Alemanha se utilizou muito desse jargão para vender ao público a suposta qualidade de todas suas cervejarias. Exageros ocorrem em cervejarias no Brasil e no mundo que não tem nenhuma ligação com a cultura alemã e elevam a lei como se fosse a única forma de fazer cerveja boa. Ainda algumas fazem cervejas de outras escolas cervejeiras e ainda assim evocam a Reinheitsgebot.

Para pensar: Antes de 1516 até 1900 foi produzida cerveja de forma livre na região da Alemanha, menos na Baviera. A Lei Reinheitsgebot vigorou em toda Alemanha durante pouco mais de 80 anos com liberações graduais. Como e por que ficou tão forte e conhecida que é sinônimo de Escola Alemã de cerveja?

Se quiserem contar essa história a pronuncia é mais ou menos assim: "RAINRAISTGUEBOLT"

Continuem pesquisando sobre história relacionada com a cerveja que tem muita coisa.

PS: O Bode e o Márcio contam em detalhes essa história na publicação de 23_04_2015

Em inglês:


O Brejas e o Bebendo Bem tem algumas coisas interessantes que complementam a história.

BOAS CERVEJAS!