O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



7 Maneiras de se tornar um melhor degustador de cervejas




[Esse é o melhor texto para quem realmente se interessa em ter uma maior capacidade de degustar e perceber sabores e aromas de uma cerveja. Não basta beber cervejas diferentes, rodar copos e "bostar" no Face. Texto original em: Pastemagazine ]

Alguma vez você já se viu lendo sobre determinada cerveja, ou pesquisou certo processo no BeerAdvocate ou no Rate Beer e, ao deparar-se com uma descrição particularmente elaborada, pensou consigo mesmo “cassis, geléia de figo, e flores de jasmim? Esse cara só pode estar inventando isso aí!”
Qualquer pessoa que tenha desenvolvido um mínimo apreço por cervejas artesanais, em algum momento de seu desenvolvimento como degustador, sentiu a frustração perante a aparente inabilidade de discernir as nuances e detalhes de uma cerveja. A cerveja é um gosto adquirido, e saborear uma cerveja é uma habilidade que pode ser desenvolvida com uma dose de esforço consciente. Seu paladar é mais que somente o conjunto de órgãos sensoriais físicos responsáveis pela detecção de gostos e aromas que compõem o sabor. O paladar também inclui os processos mentais que acompanham as características da cerveja e que auxiliam na decodificação de todos estes sinais que estão sendo emitidos por seu nariz e papilas gustativas. O paladar de cada indivíduo é distinto e ajustado de forma única, e, embora estejamos, até certo ponto, limitados a nossas características natas, a habilidade de um degustador sempre pode ser aprimorada.
Imagine seu paladar como um músculo; ele precisa de exercício para fortalecer-se. E da mesma forma que treinar na academia sem uma rotina definida não leva à conquista um corpo malhado,  simplesmente beber diferentes cervejas, por si só, também não vai necessariamente aprimorar seu paladar. Vá além da rotina de repetição de suas cervejas favoritas e treine seu paladar com estes exercícios que vão permitir suas papilas gustativas atingir a melhor forma.
O Alongamento
Poucas coisas na vida superam beber uma deliciosa cerveja artesanal, mas saborear uma pode ser uma delas. A diferença reside unicamente em sua predisposição mental. Saborear uma cerveja trata-se de beber com ponderação e consciência, provando os gostos e aromas e prestando atenção nos elementos individuais da cerveja e na complexa interação dinâmica que compõe a experiência do sabor. Nem todo copo de cerveja que se beber deve ser criticamente analisado, mas o quanto maior for o tempo dedicado ao saborear consciente, mais rápido seu paladar se desenvolverá.
A Respiração
Os receptores em nossas vias nasais são responsáveis por boa parte do impulso sensorial percebido por nós como gosto (experimente sua cerveja favorita com o nariz fechado para sentir a diferença), mas nem todos estes aromas têm que entrar pelo seu nariz para serem percebidos. Aromas retronasais ocorrem porque as vias nasais conectam-se à boca e à garganta (pelo palato) de modo que aromas podem ir da boca até as cavidades nasais—especialmente ao se engolir. Na próxima vez em que for tomar um gole de cerveja, exale através do nariz e preste atenção a quaisquer aromas que você possa perceber. Isto pode lhe dar uma perspectiva até então inédita sobre o sabor de uma determinada cerveja.
Repetições
O segredo de sermos capazes de identificar todos estes misteriosos sabores que acontecem em uma cerveja reside na capacidade de colocarmos em palavras as sensações percebidas pelo nariz e pela boca. Quanto maior for o seu estoque mental de aromas, maior a capacidade de você descrever o sabor de uma cerveja. Deve-se buscar perceber diferentes cheiros constantemente. Sinta o cheiro de sua comida. Sinta o cheiro de sua vizinhança. Sinta os cheiros à sua volta e comece a montar uma vasta biblioteca de cheiros-memórias. Isto é de especial importância ao saborear-se toda a pungência e complexidade das IPAs produzidas hoje em dia. Ao confrontar-se com uma IPA carregada de aromas frutados tropicais, será possível sentir a diferença entre os aromas de manga, mamão, abacaxi e goiaba? Que tal uma visita à seção de hortifrutigranjeiros de seu supermercado (ou, melhor ainda, à tradicional feira de bairro) para experimentar todos aqueles cheiros?
Teste Cego
Nossos cérebros fazem a maior parte do trabalho na hora de saborearmos as coisas, e os cérebros têm muitas opiniões e noções pré-concebidas. Às vezes, é melhor deixar estes preconceitos de lado e deixar seu cérebro concentrar-se somente no impulso sensorial. Um teste cego pode ser uma maneira útil de experimentar novas cervejas e também as velhas favoritas. É difícil organizar um teste cego por si próprio, mas convide alguns amigos e revezem-se servindo rodadas para os degustadores. Em uma versão mais divertida do Desafio Pepsi, experimente uma Miller-versus -Coors-versus-Budweiser (Brahma Extra versus Skol versus Stella Artois...) em um teste cego para realmente exercitar a percepção do paladar para seu cérebro.
Triângulos
Um método de teste cego favorito entre especialistas de controle de qualidade de cervejarias é chamado o “teste triângulo”, onde são servidos três copos ao degustador, dois dos quais contendo a mesma cerveja, enquanto o terceiro contém uma cerveja diferente. O objetivo é identificar qual copo contém a segunda cerveja (e, normalmente, o que a faz diferente da outra). Este exercício é uma ótima maneira de discernir as sutis diferenças entre duas cervejas similares. Na próximas vez que comprar um "six pack" de IPA, guarde uma garrafa no fundo da sua geladeira e deixe outra sobre o balcão da cozinha. Retorne daí a um mês e faça o teste triângulo e veja se consegue perceber a diferença que a (falta de) refrigeração faz.
Olhe para dentro
O olfato é um sentido engraçado—a informação bruta que chega ao seu cérebro vinda do seus receptores nasais é, na verdade, pré-processada na mesma região de cérebro que é responsável pela memória e emoção! Degustadores inteligentes podem fazer bom uso disso ao prestar atenção às emoções e memórias despertadas pelo sabor de uma cerveja. Concentre-se nas memórias que vem à mente ao provar uma cerveja e tente decodificar porque aquela IPA faz você lembrar da casa da sua avó. Talvez os lúpulos estejam lembrando aquele canteiro de jasmins no quintal dela, e agora você já possui algumas palavras (floral, jasmim) com as quais ficará mais fácil descrever o sabor.
Treinamento Cruzado
Em pouco tempo seu paladar vai estar em plena forma para começar a apreciar os sabores das cervejas artesanais ainda mais, mas você pode atingir um limite depois de algum tempo. Uma solução seria aplicar estes exercícios de gosto a outras bebidas e comidas, além de cervejas. Dedique uma semana à degustação de vinhos, bourbons, ou runs. Compare chocolates de diferentes qualidades. Mergulhe nos sabores oferecidos por chás e cafés. Todas as suas habilidades de degustador de cerveja serão postas em prática, e os novos gostos e aromas irão lhe dar mais perspectiva dos sabores das cervejas. Mas um aviso: uma vez descoberto este novo universo de sabores — desvendado com ajuda de seu recém-desenvolvido paladar — será difícil voltar à velha cerveja de supermercado.


Homebrew Al sugo!


O HomeBrew (cervejeiro caseiro) adquire comportamentos estranhos. Esse cervejeiro iniciante começa a achar que tudo é processo cervejeiro e que ele já sabe como funciona o mundo através da sua ótica de aprendiz. Certamente com muitas informações, mas bastante desencontradas e distorcidas. Em vários ambientes encontramos essa figura pitoresca. Ele ainda não sabe que é um HBZÃO xarope ou no mínimo engraçado.


O HBZÃO vai ter aula para fazer o molho de tomate da pasta asciutta com um Cheff:

CheffPrimeiro passe os tomates na peneira ou chapéu chinês, também conhecido como Chinois (chinoá)... O que? Pode perguntar HBZÃO
HBZÃO- É preciso sanitizar a peneira?
Cheff- Não. Apenas estar limpo é o suficiente. Vamos seguir. Coloque no fogo e não é necessário ferver por horas...
- O HBZÃO levanta o braço mais uma vez –
Cheff Pode perguntar HBZÃO
HBZÃO – Duas perguntas. A panela está sanitizada? Também ouvi falar que molho bom é o que ferve por horas.
Cheff Bem...  respondendo: A panela somente limpa. Ferver durante horas não é necessário. Vou ensinar para vocês que com uma pitada de bicarbonato de sódio conseguimos reduzir a acidez do molho e o cozimento muito longo não fará um molho melhor... O que foi desta vez, HBZÃO? A colher para mexer o molho está limpa e não precisa sanitizar, se quiser saber.
HBZÃO – Não, não é isso. Eu quero saber... Eu escutei que o açúcar é que é bom para tirar a acidez do molho de tomate.
Cheff Essa é uma instrução errada que passam, mas aqui vocês estão aprendendo como fazer o melhor molho de tomate...
HBZÃO – Posso usar mel?
Cheff (Já perdendo a paciência) Não. Mel pode usar em outra receita que quiseres. No molho de tomate para tirar a acidez é uma pitada de bicarbonato de sódio.
HBZÃO – Quantas gramas de bicarbonato?
Cheff – Não precisa medir exato. Você pega uma colher rasa de café...
HBZÃO – (Um tanto distraído) CAFÉ!? Não sabia que ficava legal no molho.
Cheff Acho que devemos continuar com a receita e a instrução. A MEDIDA de bicarbonato para retirar a acidez é de uma colher rasa de café. Está ficando difícil... (resmunga)
HBZÃO – Então entendi. Mas tenho uma pergunta. Precisa fazer a medição do PH antes de colocar o bicarbonato?
Cheff Não tem medição de PH. Coloca uma pitada de bicarbonato, deixa ferver 30 minutos e prova a acidez. Depois coloca o sal. Será que é tão difícil...
HBZÃO – Cheff, sal entra na receita?
Cheff – SIM!, ESTOU FALANDO... (perdendo completamente a paciência)
HBZÃO – E por que não coloca o sal junto com o bicarbonato? Tem uma tia minha que faz uma mistura de sal e açúcar para o molho, depois ela ferve por duas horas, fica uma delícia. Também né... ela faz em uma panela de ferro de mais de 30 anos e a colher de pau que foi da minha bisavó. Será que dá para fazer assim?
Cheff – Faz do jeito que quiser... Vou continuar explicando para os outros a receita.
HBZÃO – Antes disso Cheff, tenho duas perguntas. Onde eu compro bicarbonato de sódio? E a colher de café, tem que sanitizar?  E para saberem, uma colher de café corresponde a duas gramas.




Não basta apenas fazer cerveja! Não basta gostar de beber!

No setor cervejeiro, nos novos negócios e micro cervejarias, existe uma carência de conhecimento técnico e preparo do empreendedor. Para quem quer se preparar ou evoluir na estratégia de negócios indico um curso onde durante as análises estratégicas é feita uma discussão de caso de uma micro cervejaria. 

Esse curso à distância tem legendas em português e dá a oportunidade de receber o certificado da Universidade da Virginia, fundada por Thomas Jefferson em 1819. 

Estejam prontos para os novos desafios!

Não tem desculpa, curso gratuito!



Clique no link https://www.coursera.org/course/strategy101


Para aqueles que necessitam de assessoria, consultoria e planejamento entrem em contato com omestrecervejeiro@gmail.com 

COMO FAZER CERVEJA CASEIRA EM DOIS MINUTOS


Esse vídeo pode ajudar a ter uma ideia de como fazer cerveja artesanal caseira.
Seria ótimo que ela ficasse pronta em 2 minutos :)





CURSO REGULAR DE PRODUÇÃO DE CERVEJA ARTESANAL CASEIRA

CURSO DE PRODUÇÃO DE CERVEJA AVANÇADO

WORKSHOP CERVEJA ARTESANAL CASEIRA

DEGUSTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO DE CERVEJAS

PALESTRA: CERVEJA, CULTURA e GASTRONOMIA

CONTRATE O SOMMELIER


Fique atento nas novidades!
Visite nossa Fanpage no Facebook


Em uma das funções do Sommelier de Cervejas é atingir o público e celebrar o espírito da cultura cervejeira com conhecimento e experiência cervejeira






CERVEJAS GAÚCHAS GANHAM OURO


Foram quatro as cervejas gaúchas que receberam medalha de ouro no II Concurso Brasileiro da Cerveja. Foi em Blumenau durante o Festival Brasileiro da Cerveja que começou ontem.

A cerveja que obteve a maior pontuação do concurso foi a Amazon Stout, do Pará. Essa já esteve em avaliação por aqui e agradou.

PARABÉNS AOS CERVEJEIROS!



A mulher que criou a Primeira Microcervejaria do Brasil

Empresária Anelise Marques: criou e administra há 20 anos a Cervejaria Ashby

 
Bebida masculina? Por mais de 10 mil anos a produção e o aperfeiçoamento da Cerveja foi quase exclusivo das mulheres. Mas hoje, apesar do reconhecimento cada vez maior da importância do público feminino no consumo (veja dados do fim do texto), poucas mulheres se aventuram na fabricação da bebida. Em Amparo, no Circuito das Águas Paulista, a empresária Anelise Marques dirige a mais de 20 anos a Cervejaria Ashby e mostra como o toque feminino combina com a cerveja.
 
Anelise fundou, junto com o marido, o norte-americano Scott Ashby, a cervejaria em 1993. Desde o início, a empresária tomou conta da administração da empresa, que de um pequeno galpão saltou para uma rede com mais de cem distribuidores em cinco estados brasileiros.
 
“O mercado cervejeiro é masculino, sem dúvidas. Mas não há nada que impeça que as mulheres invistam neste cenário, pelo contrário, é um mercado carente dos diferenciais femininos. A cada dia conquistamos novas consumidoras e tenho certeza que em pouco tempo teremos mais mulheres à frente de cervejarias”, disse Anelise.
 
Com a empresária dirigindo a empresa, a Cervejaria Ashby foi pioneira e, quando nem se sonhava com cervejas diferentes do padrão Pilsen, lançou a primeira Pale Ale do Brasil. O produto será relançado este ano, em uma edição comemorativa, com mais quatro tipos de cerveja.
 
Da África para o Brasil
Em um trem de Nairóbi para Mombassa, no Quênia, Anelise e Scott se conhecem em 1989. Ele aproveitava um ano sabático da universidade e ela estava de férias. Os dois, de mochila nas costas, faziam uma viagem pela África que terminaria no Egito. Alguns meses depois, nos Estados Unidos, onde ela se especializava em Direito e ele terminava seu doutorado em física, surge à vontade de construir uma vida juntos.
 
Scott já tinha o hobby de produzir suas próprias cervejas e a vontade de fazer isso em uma escala maior. O casal aprimorou os conhecimentos trabalhando na cervejaria Wasatch, no estado de Utah e com a vontade de Anelise de voltar para o Brasil, decidem criar a Cervejaria Ashby, inspirada pelas microcervejarias norte-americanas.
 
Em agosto de 1993 iniciam a produção. Nesses mais de 20 anos de história, a Cervejaria Ashby cresceu inovando em todas suas áreas de atividade, desde receitas, passando por processos produtivos de vanguarda e relacionamento com distribuidores e clientes. Sempre buscando a singularidade do aroma e a textura de suas bebidas que conquistaram os brasileiros com seu sabor diferenciado.
 
Mercado feminino da Cerveja
·         47% das mulheres consomem bebidas alcoólicas regularmente*;
·         Destas, 88% bebem cerveja*;
·         No supermercado, 63% das mulheres escolhem a marca da cerveja que será comprada*;
·         50% das mulheres concordam que cerveja pode ser bebida em qualquer ocasião*;
·         82% das mulheres discordam que cerveja não é para mulheres*;
·         Pelas estatísticas, os homens são ainda os maiores consumidores de cerveja. Eles bebem cinco vezes mais que as mulheres, aponta a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE);
·         Mas uma pesquisa realizada em 2011 pelo Painel Nacional de Domicílios da Kantar Worldpanel mostrou que mulheres acima de 35 anos consomem a mesma quantidade de cerveja dos homens com a mesma idade, sendo responsáveis por 23% do mercado nacional.
 
*Consumo Feminino da Cerveja, da Sophia Mind e Inteligência de Mercado, 2010.
 
~Assessoria Ashby~
 

Um brinde as mulheres!

8 de março, é comemorado o Dia Internacional das Mulheres.
Dia para agradecer e venerar a fundamental existência das mulheres.
Não esqueça de brindar com uma cerveja, pois foram elas as maiores responsáveis em cuidar desta bebida por muitos anos da história.


Tatuagem e Cerveja

Cervejeiro e tatuagem tem a ver? O pessoal  da Mr. Beer acha que sim e fizeram uma cerveja em parceria com o estúdio de tatuagem Tattoo You. A cerveja é a Santa Muerte, produzida na cervejaria Dama. (Vê essa notícia aqui em outro blog que ela já é antiga).
O cervejeiro tem a paixão marcada na pele. A flor de  lúpulo é a escolha mais comum. Estilos favoritos tatuados não são muito incomuns. Adoradores de rótulos também são freqüentes  Algumas esquisitices e bem... gosto é gosto. Débora Secco tatuando nome de namorado no pé é bolinho! Aproveita e vê esse vídeo da Porta dos Fundos sobre o assunto.

Olha aí o que busquei na internet. Envia a tua que eu coloco na galeria.




 
 
 
























Imagens da Internet

10 dicas para guardar e conservar sua cerveja



Em todas as edições de cursos e palestras, e até mesmo em conversas com amigos, a pergunta vem de uma forma ou outra: "Qual a validade da cerveja?" " Cerveja estraga?" "Como é melhor guardar a cerveja?" São algumas questões frequentes.

Repito aqui o que disse Michael Jackson (o Beer Hunter e não o bebedor de Pepsi):
“99,9 por cento de cervejas de todo o mundo são feitas para serem consumidos imediatamente quando elas saem da cervejaria”
As exceções segundo o mestre:

#) As acondicionadas em barril de madeira

#) As refermentadas na garrafa. Neste caso cervejas mais leves  e menos alcoólicas como uma Berliner Weiss adquirirão novas características em até seis meses. Por outro lado cervejas com um corpo maior podem fazer esse processo de amadurecimento por até um ano ou mais. Como exemplo as fortes Brown Ales, as Trapistas, Barley Wines e Imperial Stouts.

#) Algumas cervejas sem refermentação na garrafa e ainda filtradas ou pasteurizada podem produzir um produto diferenciado em um ano se o seu perfil for com álcool elevado (acima de 7%) e  com sabores complexos.

O processo de GUARDAR para obter uma bebida diferenciada é diverso do que CONSERVAR a cerveja para bebê-la em seu melhor estado de conservação.

1)      Para GUARDAR nunca gele sua cerveja que vai modificar com o tempo. O frio vai impedir que o fermento em suspensão possa trabalhar. Faixa de temperatura de 13 a 15° é o ideal
2)      Mantenha a cerveja em lugar escuro tanto para guardar quanto para conservar
3)      O local deve ser livre de  mofo e com umidade controlada
4)      Sempre guarde a cerveja com a garrafa de pé. Se a cerveja for armazenada por mais de um ano com rolha de verdade pode ser deitada um “rack” igual ao de vinho.
5)      Não movimente a garrafa de cerveja que está descansando. Choques, batidas, som muito alto vão abalar a tranqüilidade das leveduras e a estabilidade da cerveja.
6)      Se quiser apenas conservar a cerveja para bebê-la em melhor estado de conservação, nesse caso é em uma geladeira e com a temperatura mais próxima de 0° que terá o melhor resultado.
7)      Não coloque a cerveja na porta da geladeira
8)      Não use o freezer e nem o armário de produtos de limpeza para guardar a cerveja. Seja amável com suas garrafas. Sem mudanças bruscas de temperatura.
9)      Uma cerveja mediana guardada será apenas uma cerveja mediana envelhecida.
10)   A paciência é uma virtude para quem quer uma nova experiência e um transtorno para quem está com sede.