O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



7 Maneiras de se tornar um melhor degustador de cervejas




[Esse é o melhor texto para quem realmente se interessa em ter uma maior capacidade de degustar e perceber sabores e aromas de uma cerveja. Não basta beber cervejas diferentes, rodar copos e "bostar" no Face. Texto original em: Pastemagazine ]

Alguma vez você já se viu lendo sobre determinada cerveja, ou pesquisou certo processo no BeerAdvocate ou no Rate Beer e, ao deparar-se com uma descrição particularmente elaborada, pensou consigo mesmo “cassis, geléia de figo, e flores de jasmim? Esse cara só pode estar inventando isso aí!”
Qualquer pessoa que tenha desenvolvido um mínimo apreço por cervejas artesanais, em algum momento de seu desenvolvimento como degustador, sentiu a frustração perante a aparente inabilidade de discernir as nuances e detalhes de uma cerveja. A cerveja é um gosto adquirido, e saborear uma cerveja é uma habilidade que pode ser desenvolvida com uma dose de esforço consciente. Seu paladar é mais que somente o conjunto de órgãos sensoriais físicos responsáveis pela detecção de gostos e aromas que compõem o sabor. O paladar também inclui os processos mentais que acompanham as características da cerveja e que auxiliam na decodificação de todos estes sinais que estão sendo emitidos por seu nariz e papilas gustativas. O paladar de cada indivíduo é distinto e ajustado de forma única, e, embora estejamos, até certo ponto, limitados a nossas características natas, a habilidade de um degustador sempre pode ser aprimorada.
Imagine seu paladar como um músculo; ele precisa de exercício para fortalecer-se. E da mesma forma que treinar na academia sem uma rotina definida não leva à conquista um corpo malhado,  simplesmente beber diferentes cervejas, por si só, também não vai necessariamente aprimorar seu paladar. Vá além da rotina de repetição de suas cervejas favoritas e treine seu paladar com estes exercícios que vão permitir suas papilas gustativas atingir a melhor forma.
O Alongamento
Poucas coisas na vida superam beber uma deliciosa cerveja artesanal, mas saborear uma pode ser uma delas. A diferença reside unicamente em sua predisposição mental. Saborear uma cerveja trata-se de beber com ponderação e consciência, provando os gostos e aromas e prestando atenção nos elementos individuais da cerveja e na complexa interação dinâmica que compõe a experiência do sabor. Nem todo copo de cerveja que se beber deve ser criticamente analisado, mas o quanto maior for o tempo dedicado ao saborear consciente, mais rápido seu paladar se desenvolverá.
A Respiração
Os receptores em nossas vias nasais são responsáveis por boa parte do impulso sensorial percebido por nós como gosto (experimente sua cerveja favorita com o nariz fechado para sentir a diferença), mas nem todos estes aromas têm que entrar pelo seu nariz para serem percebidos. Aromas retronasais ocorrem porque as vias nasais conectam-se à boca e à garganta (pelo palato) de modo que aromas podem ir da boca até as cavidades nasais—especialmente ao se engolir. Na próxima vez em que for tomar um gole de cerveja, exale através do nariz e preste atenção a quaisquer aromas que você possa perceber. Isto pode lhe dar uma perspectiva até então inédita sobre o sabor de uma determinada cerveja.
Repetições
O segredo de sermos capazes de identificar todos estes misteriosos sabores que acontecem em uma cerveja reside na capacidade de colocarmos em palavras as sensações percebidas pelo nariz e pela boca. Quanto maior for o seu estoque mental de aromas, maior a capacidade de você descrever o sabor de uma cerveja. Deve-se buscar perceber diferentes cheiros constantemente. Sinta o cheiro de sua comida. Sinta o cheiro de sua vizinhança. Sinta os cheiros à sua volta e comece a montar uma vasta biblioteca de cheiros-memórias. Isto é de especial importância ao saborear-se toda a pungência e complexidade das IPAs produzidas hoje em dia. Ao confrontar-se com uma IPA carregada de aromas frutados tropicais, será possível sentir a diferença entre os aromas de manga, mamão, abacaxi e goiaba? Que tal uma visita à seção de hortifrutigranjeiros de seu supermercado (ou, melhor ainda, à tradicional feira de bairro) para experimentar todos aqueles cheiros?
Teste Cego
Nossos cérebros fazem a maior parte do trabalho na hora de saborearmos as coisas, e os cérebros têm muitas opiniões e noções pré-concebidas. Às vezes, é melhor deixar estes preconceitos de lado e deixar seu cérebro concentrar-se somente no impulso sensorial. Um teste cego pode ser uma maneira útil de experimentar novas cervejas e também as velhas favoritas. É difícil organizar um teste cego por si próprio, mas convide alguns amigos e revezem-se servindo rodadas para os degustadores. Em uma versão mais divertida do Desafio Pepsi, experimente uma Miller-versus -Coors-versus-Budweiser (Brahma Extra versus Skol versus Stella Artois...) em um teste cego para realmente exercitar a percepção do paladar para seu cérebro.
Triângulos
Um método de teste cego favorito entre especialistas de controle de qualidade de cervejarias é chamado o “teste triângulo”, onde são servidos três copos ao degustador, dois dos quais contendo a mesma cerveja, enquanto o terceiro contém uma cerveja diferente. O objetivo é identificar qual copo contém a segunda cerveja (e, normalmente, o que a faz diferente da outra). Este exercício é uma ótima maneira de discernir as sutis diferenças entre duas cervejas similares. Na próximas vez que comprar um "six pack" de IPA, guarde uma garrafa no fundo da sua geladeira e deixe outra sobre o balcão da cozinha. Retorne daí a um mês e faça o teste triângulo e veja se consegue perceber a diferença que a (falta de) refrigeração faz.
Olhe para dentro
O olfato é um sentido engraçado—a informação bruta que chega ao seu cérebro vinda do seus receptores nasais é, na verdade, pré-processada na mesma região de cérebro que é responsável pela memória e emoção! Degustadores inteligentes podem fazer bom uso disso ao prestar atenção às emoções e memórias despertadas pelo sabor de uma cerveja. Concentre-se nas memórias que vem à mente ao provar uma cerveja e tente decodificar porque aquela IPA faz você lembrar da casa da sua avó. Talvez os lúpulos estejam lembrando aquele canteiro de jasmins no quintal dela, e agora você já possui algumas palavras (floral, jasmim) com as quais ficará mais fácil descrever o sabor.
Treinamento Cruzado
Em pouco tempo seu paladar vai estar em plena forma para começar a apreciar os sabores das cervejas artesanais ainda mais, mas você pode atingir um limite depois de algum tempo. Uma solução seria aplicar estes exercícios de gosto a outras bebidas e comidas, além de cervejas. Dedique uma semana à degustação de vinhos, bourbons, ou runs. Compare chocolates de diferentes qualidades. Mergulhe nos sabores oferecidos por chás e cafés. Todas as suas habilidades de degustador de cerveja serão postas em prática, e os novos gostos e aromas irão lhe dar mais perspectiva dos sabores das cervejas. Mas um aviso: uma vez descoberto este novo universo de sabores — desvendado com ajuda de seu recém-desenvolvido paladar — será difícil voltar à velha cerveja de supermercado.