O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



Eisenbahn 10 anos - A Revelação

Eisenbahn 10 anos

A cervejaria Eisenbahn (Cervejaria Sudbrack/Blumenau-SC) no seu aniversário de dez anos produziu uma cerveja para marcar a data. O estilo escolhido desta cerveja foi o Doppelbock, mas com uma característica inusitada que é ser uma cerveja mais clara do que estamos acostumados para esse estilo mais potente no álcool e no malte. Com grande expectativa o mercado esperou esse lançamento, pois a cerveja de cinco anos de aniversário da cervejaria foi muito bem recebida pelos consumidores e hoje a Eisenbahn 5 já conquistou lugar na produção regular e na geladeira dos apreciadores de cerveja.
Outra carcacterística dessa cerveja de 10 anos é a utilização do carvalho para proporcionar mais complexidade e tornar esse um produto único. Começando por sua apresentação na garrafa rolhada a Eisenbahn 10 anos promete entregar um ótimo e instigante consumo de uma cerveja com produção limitada.
Essa é a bebida antes de começar a degustação. A cerveja já está dizendo para que veio. Não vamos abrir uma garrafa impunemente para apenas beber, essa é uma cerveja que todos tentarão revelar o que for possível em uma degustação.
A rolha precisa de uma "forcinha".
E assim eu o fiz revelando o conteúdo desta garrafa com uma livre possibilidade de um consumidor sem a rigidez de uma degustação técnica. Deixando desde então que as percepções e as preferências pessoais se manifestem sem pudor.
Na abertura da garrafa noto que esta segue a tendência das garrafas rolhadas de cerveja, na sua maioria, que dificultam a sua abertura. Não sei o que é, mas precisamos de força e um pouco de paciência para não quebrar a rolha.
No copo despeja o líquido amarelo alaranjado e turvo, sua filtração é parcial e essa apresentação é esperada. Subindo uma espuma branca de boa formação com uma bela configuração no copo.
Uma bela formação de espuma
Vamos ao nariz para sentir o que os olhos já encheram de expectativa. A primeira impressão é o cítrico, talvez abacaxi, com a madeira ainda mostrando no aroma uma baunilha que provem do carvalho utilizado. Rapidamente se quer provar para ir além, mas podemos ficar um pouco mais detidos no aroma desta cerveja que o álcool começa a exalar. Para os desavisados essa cerveja é mais alcoólica, 7,2% ABV. As notas de madeira preenchem mais a composição dos aromas e quase que dominam deixando pouco espaço para os aromas cítricos que se mostraram primeiramente.
Retornando ao copo podemos ver algumas partículas dos chips de carvalho que foi usado se depositando no fundo.
Para o primeiro gole já sei que essa cerveja não tem um referencial sensorial, não adianta querer ver um estilo aqui, e vamos envolvidos pelo que ela mostrou antes.
Na boca os sabores estão em equilíbrio e o dulçor residual combina com o estilo proposto, embora ela até agora não estivesse seguindo essa ideia, o amargor é presente e o álcool é perceptível e suave. O amadeirado tão presente no aroma também aparece dominando e o cítrico harmoniza bem com o conjunto. A carbonatação tem um nível médio para alto ajudando na composição dos sabores. Eu esperava mais do paladar, acho que tanto de madeira comprometeu para o meu gosto, não sou adepto do quanto mais melhor. O final também é amadeirado. A acidez é média, o que me proporciona novos goles investigadores para essa cerveja. È assim, goles e goles de investigação. Modificar alguns balanços me parece que a cerveja se encaixaria melhor no meu gosto.  Encontrada a rota desta cerveja, instigar e mostrar uma criatividade possível. Para todos aqueles que gostam de novidades essa cerveja precisa ser degustada. Também para os colecionadores a garrafa tem o lugar na prateleira. Não abram uma garrafa com um conceito de cerveja, apenas aprecie e se quiser julgue para o seu paladar. O valor da garrafa de  375ml está bem convidadtivo em se tratando de uma produção limitada. Fica em torno de R$18,00 nos supermercados.
Se quiserem tornar mais intensa essa degustação podem servir um queijo Gouda com Prosciutto di Parma acho que seria uma bela pedida.
Sejam receptivos para novas experiências sensoriais e abram uma cerveja para degustar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário