O nosso ideal

Queremos desenvolver a cultura cervejeira. Desfrutar de boas e artesanais cervejas. Incentivando que as façam!



Rota Cervejeira BR ~ Enjoy Tchê! ~ parte final

Esse post é um trabalho colaborativo dos Blogueiros de Cerveja !
Nesta última parte os colaboradores indicam a Rota Cervejeira  de outros estados.

Turismo: os melhores lugares cervejeiros do Brasil








Felipe Baptista  - Clube da Cerveja Eisenkreuz

Santa Catarina é uma terra de praias exuberantes, mulheres lindíssimas, uma Oktoberfest considerada a segunda maior do mundo e cervejas que não deixam nada a dever para as grandes cervejarias alemãs!
Daremos uma atenção especial para Blumenau, uma cidade de colonização alemã e situada ao lado de um rio no qual sua água serve como base para duas grandes cervejarias no mercado nacional. A mais conhecida delas é a poderosa Eisenbahn, talvez uma das primeiras microcervejarias ativas até o momento e responsável, de acordo com muitos especialistas, pela revolução cervejeira que se vê acontecendo no país. Visite a Estação Eisenbahn e deguste as cervejas mais premiadas do país enquanto aprecia um prato da culinária típica alemã.

Bar na cervejaria Eisenbahn






Após desmbarcar da Estação, siga para a cervejaria Bierland, que foi criada a partir da idéia de três sócios de entrar no ramo alimentício e hoje é uma das mais importantes cervejarias do país. Aproveite o agradabilíssimo ambiente enquanto aprecia uma cerveja no estilo Vienna, alvo de grandes críticas positivas tanto aqui quanto no exterior, ou uma Pilsen para as pessoas que gostam de uma cerveja mais leve, porém, não menos saborosa.

Bierland (foto: Saída Urbana)
Caso você queira aproveitar um ambiente mais inglês, a cidade também conta com um pub, o The Basement. Ele possuí uma vasta variedade de cervejas artesanais e uma ótima carta de vinhos, além de ótimos chefs de cozinha que garantem uma comida de excelente qualidade. 
The Basement
 Quem aprecia um bom churrasco, não pode deixar de visitar o Restaurante Figueira, que assa suas carnes ao melhor estilo uruguaio e apresenta uma extensa carta de cervejas e vinhos. Além de ter um dos melhores ambientes da cidade, o restaurante conta com um clube da cerveja, que possibilita ao cliente acumular pontos e os trocar por mais cervejas ao longo dos tempos.
Restaurante Figueira
Mas as atrações da região não param por aí. O famoso passeio pela Rota da Cervejapassa por seis cidades da região, visitando oito cervejarias, onde você pode apreciar toda a cultura alemã absorvida pela colonização nas cidades. A Rota engloba as seguintes cidades e cervejarias: Blumenau (Bierland e Eisenbahn), Indaial (Heimat), Gaspar (Das Bier), Pomerode (Schornstein), Brusque (Zehn Bier) e Timbó (Borck). O passeio é uma das principais atrações turísticas do Estado e é imperdível para qualquer apreciador das boas cervejas.







Jota Fanchin Queiroz - Bar do Jota

Curitiba é conhecida nos meios publicitários como uma cidade termômetro, uma espécie de laboratório. Costuma-se considerar de que se um produto venceu a resistência do consumidor curitibano, exigente e resistente a mudanças, é um indicador seguro de sucesso de mercado. E se esse é mesmo um bom indicativo, o mercado das cervejas artesanais está no caminho certo. O movimento que começou na cidade há apenas uns dois ou três anos, caiu no gosto do curitibano e é hoje uma verdadeira febre. Com tanta popularidade, bons lugares para beber é o que não falta.

Comece pela Avenida Mateus Leme, quase no centro da cidade. A apenas duas quadras do conhecido Shopping Mueller, está o Hop’n´Roll Beer Club. Lá, duas grandes atrações o aguardam: além de degustar excelentes cervejas tiradas na hora, você pode também fazer a sua. São diariamente 12 opções na trave de cervejas on tap, tiradas diretamente de barris. Dentre as opções, além de artesanais de todo o Brasil, o Hop tem sempre uma surpresa internacional. Mas o diferencial da casa é a estrutura disponibilizada para que qualquer cliente possa realizar o sonho de fazer a própria cerveja. Basta marcar o dia e sair com a sua cerveja.
Hop'n Roll





 Seguindo pela mesma avenida, cerca de dez quadras, encontramos o mais tradicional ponto de cervejas especiais da cidade: a Cervejaria da Vila. Lá também é possível contar com uma trave com 12 opções de artesanais além de uma excelente carta de cervejas em garrafa. Uma das iniciativas pioneiras da Vila são os experimentos cervejísticos. Em parceria com a cervejaria Junka Beer e com a participação dos clientes, são elaboradas cervejas de um mesmo estilo com pequenas variações na receita para efeito de comparação. A mais recente foi a produção de uma India Pale Ale utilizando em cada receita um determinado tipo específico de lúpulo. Vale o programa.

Mais próximo do centro encontramos o Clube do Malte. Uma casa um pouco mais sofisticada em uma mistura de loja especializada e bar. A gastronomia, refinada e com sugestões de harmonização, é o ponto alto aqui. Destaque ainda para o grande número de rótulos disponíveis com uma das melhores cartas de cerveja da cidade.

Agora, para conversar sobre cerveja, o lugar indicado é o Templo da Cerveja. Loja conceito conta com apenas uma grande mesa onde todos os clientes sentam-se juntos. A ideia é estimular a discussão. O bacana é que, mesmo se você estiver sozinho, terá um excelente papo. Nas prateleiras uma seleção mais do que caprichada de rótulos e no atendimento o profundo conhecimento técnico da equipe do Templo.
Templo da Cerveja
 A cidade conta ainda com um grande número de cervejarias. Talvez a mais conhecida delas seja a premiada cervejaria-escola Bodebrown, onde o Samuel Cavalcanti exerce sua alquimia. Da grande Curitiba vem duas cervejarias já com distribuição nacional, a Klein Bier em Campo Largo (29km de Curitiba) e a Way Beer em Pinhais (10km de Curitiba). Se você estiver com tempo, todas elas possuem horários para visitas. Basta marcar com antecedência. Além das três, existem várias outras cervejarias surgindo a cada dia. E a ousadia e a criatividade tem sido a marca registrada por trás de nomes como Wensky, Dum, De Bora, Ogre, Gauden, Helldorado e tantos outros.

Para encerrar a visita cervejeira à cidade, não deixe de provar a tradicional Carne de Onça. Uma variante do prato alemão Hackepeter, é o típico prato de boteco da cidade. Recomendo a do Clube do Malte.






Raphael Rodrigues - All Beers

São Paulo é o principal centro financeiro da América Latina e é nacionalmente conhecida como sendo o centro gastronômico do país. Como não poderia ser diferente, as cervejas especiais estão em todas as partes da metrópole. Por isso, resolvi apontar 4 pontos cervejeiros de grande destaque no cenário nacional e que devem ser visitados por curiosos e pelos cervejeiros de carteirinha.

Antes de começar o tour, não esqueça, “beba menos, beba melhor”. Aproveite cada bar citado, mas sem exagerar.

Começamos nosso passeio pelo bairro de Pinheiros, onde encontramos dois pontos fundamentais para uma rota cervejeira

O Empório Alto dos Pinheiros é atualmente o ponto mais badalado de cervejas da cidade de São Paulo, sempre com novidades, palco de diversos eventos cervejeiros e uma carta extensa, uma das maiores da cidade, se não for a maior. Impossível não parar para conversar com o Paulo Almeida, proprietário do EAP que entre um papo e outro, fala com propriedade sobre o assunto cerveja. O local continua crescendo e um balcão foi construído, aumentando para 28 torneiras de chope das melhores cervejarias do mundo, algo grandioso para São Paulo e Brasil.
Empório Alto dos Pinheiros
Sem parar, o próximo destino é bem perto, no mesmo bairro de Pinheiros. A Cervejaria Nacional é o primeiro brewpub da cidade e oferece opções de cervejas importadas e próprias, feitas no local e com inspiração no folclore brasileiro: Yiara (Pilsen), Kurupira (pale ale), Mula (india pale ale), Sasi (stout) e Domina (trigo). Sem esquecer as sazonais, produzidas especialmente para determinadas épocas do ano. No térreo é possível ver todos os tanques da cervejaria e se você tiver sorte, até acompanhar a produção.
Cervejaria Nacional
A próxima parada é o Empório Sagarana, um dos bares mais comentados atualmente na cidade, com status de cult. Uma mistura de entendedores e curiosos por cerveja frequentam o local, que não é muito grande, porém muito bem distribuído e agradável. É muito indicado para harmonizar boas porções com ótimas cervejas. 
Empório Sagarana
Se você acompanhou este guia, já deve ter degustado ótimas cervejas durante o percurso. Mas que tal fechar a noite no Frangó, o mais tradicional bar de cervejas de São Paulo, praticamente um ponto turístico? No lado de fora você não imagina, mas dentro do Frangó você respira cerveja, em cada canto você aprende algo e pode degustar tudo isso. Não deixe de conhecer o proprietário, Cássio Piccolo, um grande conhecer de cervejas. Estilos de todo mundo você encontra lá, em diversos ambientes, cuidado para não se perder lá dentro, ou melhor, se perca!


Frangó







Fabrício Santos - FullPintBR


Ribeirão Preto, localizada no interior do Estado de São Paulo, já tem seu nome associado a cerveja há muitos e muitos anos. Desde a época em que a cerveja produzida em larga escala possuía mais qualidade sensorial do que hoje. Quem nunca ouviu falar do Pinguim e sua Antarctica que servia o chope “vindo direto da fábrica por uma tubulação subterrânea”? Claro, uma grande lenda urbana (a fábrica ficava cerca de 2 km do bar), mas que marcou toda uma época.

Tendo a cerveja correndo nas veias, nada mais justo que esta cidade ter várias opções de “sangue azul”: são 3 cervejarias artesanais e vários bares e restaurantes com cartas de cervejas especiais.

A Cervejaria Colorado é a pioneira, não só em Ribeirão Preto, mas a nível nacional. Produzindo sempre com ingredientes inusitados como rapadura, mel e mandioca, se firmou inicialmente como um pub. Atualmente, busca a produção em larga escala (acima de 100 mil litros) e também iniciou sua exportação para os EUA. Conta com seu bar, o Cervejarium, com uma boa carta de cervejas e sempre chopes fresquinhos nas torneiras.

Veio então a Lund, cervejaria que prima pela excelência em lagers, com o mestreEvandro Zanini tocando as panelas e produzindo uma Munich Dunkel que é a melhor do Brasil na minha opinião. Está em franca expansão e promete mais estilos pra muito em breve. Possui um espaço dentro da fábrica para atender reuniões e clientes, um luxo!

A caçula das cervejarias é a Cervejaria Invicta que possui um portfolio gigante – que inclui desde uma Pilsner, passando por uma IBA, até uma Imperial Stout – e produz algumas cervejas on demand tendo por seu maior exemplo a cerveja da banda Velhas Virgens, sucesso total de vendas. Produziu também a cerveja comemorativa de 2 anos do blog FullPintBR. Conta com bar próprio, de onde pode se ver toda a produção da cervejaria e provar chopes fresquinhos, que não movimentam por mais de 10 metros até chegar ao seu copo.

Partindo para os bares, Ribeirão Preto também está muito bem servido com excelentes casas noturnas, tais como o Vila Dionísio e Bar Dom Pedro. Se você prefere um ambiente mais intimista, recomendo o Vadinho (que teve uma cerveja feita pela Lund) ou o bar da Invicta que conta com um cardápio de tirar o chapéu! Mas o mais charmoso e atencioso de todos está em Sertãozinho (20 km de Ribeirão Preto), o Empório Santa Fé, que tem nas prateleiras rótulos exclusivíssimos que você não vai encontrar em nenhum outro lugar por aqui, atendimento feito pelo dono, acesso aos produtos “sem frescura” de não poder por a mão nas geladeiras e cervejas nas suas temperaturas corretas, além de uma excelente cozinha. O Santa Fé também sempre promove eventos com grandes nomes do meio, como Edu Passarelli e Káthia Zanatta.
Empório Santa Fé






Nicholas Bittencourt - Goronah

A Cidade Maravilhosa pode ficar melhor ainda quando é acompanhada a boas cervejas e para isso não faltam oportunidades. Se faltam cervejarias na cidade para realizar uma visita, os bares são o destino certo quando se está passando por ali.

No bairro de Botafogo, o Boteco Colarinho apresenta a exclusiva Hopium, uma American Pale Ale criada em parceria com o grupo de cervejeiros caseiros chamado Confraria do Marquês. Também no bairro, o Beer Jack Hideout apresenta a Hi-5, uma das poucas Black IPAs do país. Para aqueles que buscam a vida noturna na cidade, o Lapa Café e o Bar do Ernesto apresentam uma vasta carta de cervejas no bucólico bairro da Lapa, onde você pode beber boas cervejas próximo aos Arcos. Não deixe de conhecer também o famoso Aconchego Carioca, com destaque para seu bolinho de feijão, que já está prestes a conquistar os corações de São Paulo, na filial em processo de abertura
Boteco Colarinho

Do outro lado da poça, como chamamos carinhosamente a Baía da Guanabara, está a cidade de Niterói, conhecida por ter a melhor vista conhecida para o Rio de Janeiro. Depois de assistir o pôr do sol no Parque da Cidade, faça uma parada na Praia de São Francisco e experimente algumas bruschetas no Empório Carlsson, acompanhadas de um cardápio farto em boas cervejas.

Empório Carlsson
 Outra opção é rumar em diração à Região Oceânica, onde as praias não fazem parte da baía, e conhecer a Cervejaria Noi. São quatro diferentes receitas criadas e acompanhadas por Leonardo Botto, um dos cervejeiros caseiros mais respeitados do país. Na área residencial do bairro de Santa Rosa, o Granel é a pedida para aqueles que querem fugir do tumulto e badalação. O sommelier Gustavo Renha cuida pessoalmente para manter a variedade e os últimos lançamentos no cardápio.

Cervejaria Noi

A cidade serrana de Teresópolis, a apenas 100km do Rio de Janeiro, já é famosa pelo campo de treinamento da seleção brasileira de futebol e também pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Agora a cidade possui também um atrativo para a cerveja. A cervejaria Saint Gallen, conhecida pelas cervejas Therezópolis, possui sua cervejaria aberta a visitação . Além do passeio, a vila germânica anexa possui lojas com diversos produtos artesanais. Para aqueles que desejam pernoitar na cidade, há também a opção de uma pousada na vila, poupando o risco de dirigir depois de passar o dia aproveitando o biergarten local.

Vila St. gallen
A cidade onde viveu a família real brasileira, Petrópolis (67km do Rio De Janeiro), possui atrativos além do passeio de pantufas no Museu Imperial. Aqueles que gostam de cerveja tem um museu todo especial a esse assunto, construído na antiga fábrica da Cervejaria Bohemia, a primeira do Brasil. Uma oportunidade é visitar a cidade durante a Bauernfest, uma tradicional festa da cultura alemã que movimenta a cidade sempre no fim de junho e início de julho. Além da cerveja, o evento também conta com apresentações de grupos folclóricos e muita música alemã. Ein Prosit!
Bohemia







Rodrigo Lemos - Beer Architecture

Belo Horizonte é conhecida por todos como Capital Nacional dos Bares, dada a maior quantidade de bares per capita do país que nossa cidade possui. A tradição do belorizontino de frequentar este tipo de estabelecimento é tanta que existe inclusive uma máxima que diz “se não tem mar, vamos para o bar!”

Com tamanha predileção pelo saudável ato de encontrar os amigos para jogar conversa fora bem acompanhado de uma cervejinha, o belorizontino tinha tudo para se interessar pela revolução da cultura cervejeira que vem acontecendo nestes últimos anos. E não foi diferente.

Ainda na década de 90, mais precisamente em 1997, foi inaugurada, bem próxima ao BH Shopping, a primeira microcervejaria do estado. Era a Krug Bier, uma microcervejaria que então funcionava como brewpub, ou seja, o bar era dentro da cervejaria. Em pouco tempo eles já contavam com quatro tipos de chope (lager, keller, weizenbier e munich dunkel) e também faziam delivery, o que contribuiu muito para a fama de seu chope. Em 2004 a cervejaria lançou seus produtos em garrafa, batizando a linha de Áustria, contando hoje com cinco rótulos distribuídos nacionalmente. Hoje a Krug conta também com a maior fábrica em volume de produção do estado, que fica no bairro Jardim Canadá, e com seu bar próprio na Rua Major Lopes, tradicional setor boêmio da cidade.
Krug Bier (foto: Baco e Ninkasi)
De lá pra cá, o número de microcervejarias só faz crescer, tornando BH e região um dos grandes pólos de produção da bebida, produção que não só é vendida em garrafas nacionalmente como também em chope por vários bares da cidade.

Outros bares que fazem parte da história boêmia e cervejeira de Belo Horizonte são o Haus München e o Stadt Jever. O primeiro foi, durante muitos anos, um tradicional restaurante alemão da cidade, que no início dos anos 2000 ganhou uma nova cara ao ser administrado pelo experiente empresário do ramo Rodrigo Ferraz. O resultado foi uma casa moderna, de atendimento diferenciado e foco na oferta de vários rótulos de cerveja, isso já em 2004, 2005, permanecendo até hoje como importante casa do meio cervejeiro. Já o Stadt Jever é um capítulo à parte. Um dos bares mais famosos e tradicionais de BH, próximo de onde funcionou, de 2006 a 2011, outro lendário bar cervejeiro de BH, o Frei Tuck Slow Beer, o Stadt Jever é um autêntico pub alemão que recentemente recebeu a intervenção de ninguém menos do que a equipe da cervejaria Wäls, que deu vida nova ao bar, transformando-o em mais um destino obrigatório para quem gosta de boas cervejas. Mas os meninos da Wäls não pararam por aí. Inaugurado no dia 07 de julho, no bairro de Lourdes, o Empório Serafina conta com 16 torneiras de chope, entre rótulos da Wäls, de cervejarias mineiras como a Falke Bier, Küd e Taberna do Vale e nacionais como a Colorado, a Way e tantas outras, além de chopes importados e cervejas diversas.
Stadt Jever (foto: Guia BH)

Outra grande cervejaria que tem presença forte em BH e que conta com seu próprio bar é a Backer. Localizado no Shopping Pátio Anchieta, zona sul da cidade, o pub alia cardápio criativo inspirado na gastronomia mineira com a linha de produtos da cervejaria, em chope e em garrafa. A Backer conta ainda com extensa linha de quiosques-bar distribuídos em diversos shoppings de BH e até mesmo no tradicionalíssimo Mercado Central.

Não podemos esquecer o Rima dos Sabores, restaurante de carnes exóticas de cozinha extremamente criativa e premiada, capitaneada pelo Juliano Caldeira. O Rima é outra casa intimamente ligada à cultura cervejeira, onde, além de petiscos de javali, avestruz e jacaré e pirotecnias à base de bacon, você pode degustar os chopes da Falke Bier e da Küd que não chegam aos outros estados, como o vienna lager Red Baron, a IPA Kashmir e a IBA Blackbird, num ambiente em que você se sente em casa.



Rima dos Sabores

BH ganha praticamente a cada mês uma novidade no setor. Nomes como Mello Pizzaria, Bar Seu Romão, Obardô, Mambo Drinkeria e os pubs irlandeses Celtic e Duke ‘n’Duke contam com opções de chopes artesanais e/ou cervejas especiais em seus cardápios.

E para quem quer ir além da experiência dos bares e quer conhecer as cervejarias, este que vos fala organiza o Beer Tour, que leva os turistas para conhecer este grande número de micros e nanocervejarias da região, bares e lojas especializadas. Maiores informações no meu blog, o Beer Architecture, ou na minha página pessoal no Facebook.

Venha a BH provar da hospitalidade mineira e da nossa paixão por boas cervejas!

Agora não tem mais desculpa! Compre a sua passagem, monte o seu roteiro e descubra o sabor da cerveja brasileira. Boa viagem!

 

2 comentários: